Consciência em ação

MM10_Atracoes-036.jpg
 

Lixo Zero é um conceito de vida. Na sociedade, ele é aplicado ao comportamento responsável pelo caminho e destino final dos resíduos que produzimos diariamente - comida, embalagens, roupas, pilhas, móveis, etc - antes de descartá-los. Tendo essa preocupação como bússola, a última edição do MERCADO MANUAL no Museu da Casa Brasileira (MCB) colheu resultados importantes divulgados nesta semana pela Casa Causa, nova parceira e consultora do nosso Festival de Cultura Feita à Mão.

“O Mercado Manual deu um destino correto a, aproximadamente, 80% dos descartes produzidos no evento. Ou seja, apenas 20% do descarte foi para aterros. Sendo assim, como uma primeira ação dirigida e orientada para o lixo zero, podemos dizer que houve um alto desempenho”, avalia a empreendedora social Flávia Cunha, que fundou a Casa Causa junto à sócia Luciana Annunziata, em 2014.

Durante o evento, a empresa social atuou em dois momentos da gestão de resíduos sólidos: teoria e prática. Para isso, funcionários e expositores foram orientados sobre o que é um evento #lixozero; como fazer o descarte correto; quem coleta e para onde são enviados os resíduos. “Resíduo não é lixo e lixo vale dinheiro. Há uma grande população que depende deste descarte correto para viver, como os catadores e carroceiros”, explica Flávia.

Oficina de Compostagem, Casa Causa @ Mercado Manual 10ª Edição - Museu da Casa Brasileira

Oficina de Compostagem, Casa Causa @ Mercado Manual 10ª Edição - Museu da Casa Brasileira


O Mercado Manual deu um destino correto a, aproximadamente, 80% dos descartes produzidos no evento


Todo resíduo reciclável coletado e descartado corretamente foi enviado para a Cooperativa de Catadores Autônomos de Papel, Aparas e Materiais Reaproveitáveis (Coopamare), no bairro de Pinheiros, enquanto os orgânicos foram destinados ao projeto de horta urbana da Vila Nilo, Zona Norte da capital paulista. “O desafio, agora, é manter essa meta como foco para as próximas edições do evento: o que vem da terra volta para a terra, e o que vem da fábrica volta para a fábrica poder reutilizar”, aponta Flávia.

Ao todo, 5 mil e 700 visitantes que passaram pelo MERCADO MANUAL receberam orientações sobre o descarte correto nos coletores, todos identificados e espalhados pelo museu. Além disso, o público pode participar de duas oficinas gratuitas de compostagem, realizadas pela equipe da Casa Causa.

“Percebemos um engajamento tanto do público, que teve interesse e curiosidade para participar das oficinas ou tirar dúvidas no estande da Casa Causa, como também dos expositores e de toda a equipe que trabalha conosco na produção do Mercado Manual. Saber que estamos caminhando nessa direção, rumo ao lixo zero, era um sonho antigo que estamos realizando”, arremata Karine Rossi, uma das sócias da MANUAL.



Texto: Maju Duarte
Foto: Leonardo Sang / Casa Dobra
Arte : Casa Causa

 
Lixo ZeroDani Scartezini