A marca Il Casalingo, fundada em Outubro de 2012, pelas amigas e sócias Joanna Naracci e Larissa Saraval se inspira no dia a dia de quem gosta de passar ótimos momentos em casa, com amigos, família ou até sozinho. Por uma casa menos careta!


 
 

A gente conheceu a Il Casalingo num sábado de manhã, em Sp,  na Casa Samambaia. Foi uma feliz surpresa. Ver aquelas duas meninas arrumando o espaço delas, cuidando de cada detalhe e super envolvidas com o movimento maker. Os produtos da Casalingo são aliados da filosofia de ter mais tempo (e prazer!) para desfrutar a casa e cozinhar, servir, receber amigos, familiares, ou até mesmo fazer aquele lanche lindo para você mesmo. Como? Através de panos de prato super estilosos, guardanapos de algodão, aventais de linho lindíssimos,  jogos americanos charmosos, ou utensílios como tábuas de madeira, ou até mochilas que colaboram com o estilo de vida slow. Junte isso tudo à produção artesanal e local brasileira, mais muito amor e dedicação de quem faz e o resultado é um produto de lindo e de primeira, que aos poucos transforma seu dia-a-dia para a melhor.

 
 

Como foi caminho até encontrar o seu “fazer” – qual o ponto de virada?

Joanna – Antes de ir para a faculdade de Desenho Industrial na FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado), eu trabalhava no restaurante do meu pai e sempre o acompanhava em eventos. Depois de formada, fiquei um pouco em São Paulo, atuando em escritórios de design, mas por motivos pessoais, acabei retornando para Sorocaba, onde minha família mora.

Lá, enquanto trabalhava na confecção dos meus avós, levava meu projeto de graduação (uniformes para cozinha) na paralela. Após alguns anos fiz sociedade com a Larissa – uma das minha melhores amigas – criamos a Il Casalingo e isso virou o meu projeto principal.

Larissa – Sou formada em Psicologia, e logo após a graduação, comecei a clinicar em consultório. Mas eu não estava me sentindo totalmente satisfeita. Um dia, conversando com a Joanna, ela me mostrou alguns panos de prato, aventais e guardanapos que fazia sem pretensões para deixar em uma loja em Sorocaba. Adorei as peças e compartilhamos o desejo de fazer coisas bacanas para casa, de começar esse negócio juntas. No começo, fui tocando a clínica em paralelo, mas hoje me dedico exclusivamente a Il Casalingo

Você teve esse desejo na infância? Quais foram suas influências?

Joanna – Cresci entre tecidos e panelas. Minha família sempre teve confecção e minha mãe, além de gostar muito de cozinhar, é uma ótima costureira e modelista por profissão. Já meu pai é chef de cozinha, então passei a vida transitando nestes dois universos. E também porque a criatividade e o empreendedorismo sempre fizeram parte da minha essência.

Larissa – Sou uma pessoa dinâmica – gosto muito de novidades. Meu pai é um empreendedor e vi todas as suas conquistas ao longo dos anos. Vi também o seu amor em fazer o que gosta, em tocar seu próprio negócio. Queria muito isso pra mim e sinto estou no caminho certo.

16762733243_f739e4482c_b.jpg

Qual a sua formação? Ela tem algo a ver com o que você faz hoje?

Joanna – Desenho Industrial – a base criativa do meu negócio.

Larissa – Psicologia. Acredito que essa formação é para a vida, pois coloco em prática em todas as relações, no dia a dia mesmo. Ainda mais por que sou responsável pelo comercial da empresa!

16767725484_48242c8ac4_o.jpg

Por que uniformes ou acessórios para casa?

Larissa – Adoramos receber, cozinhar e sentíamos falta de produtos bacanas aqui no Brasil. A gente acredita que a cozinha é o coração da casa e as coisas que a gente cria são cheias de afetos.

Qual a marca registrada da Il Casalingo?

Joanna – O uso de tecidos naturais (linho e algodão) de uma forma simples e a produção local.

De que forma seu trabalho contribui para a arte/cultura do Brasil?

Larissa – Justamente na valorização da produção local – feito no Brasil, por brasileiros.

16770146963_5a32944186_o.jpg

Como é o processo de criação/produção da Il Casalingo?

Joanna – Às vezes, tenho que pensar em peças para outras empresas, e durante a pesquisa, vejo materiais, rabisco, testo, sonho e acabo levando essas inspirações para nossas coleções próprias. Quando o processo é da nossa marca desde o início, tudo fica mais livre. Na verdade, estou sempre exercitando (a solução pode vir até quando estou dirigindo!). Acho que a criação é a consequência do tempo que gastei pensando no assunto.

Existe um objeto ou imagem que você relaciona ao seu trabalho? Pode ser algo emocional, como um amuleto, uma foto…

Joanna – Acho que a coisa é menos concreta. São lembranças, inspirações de vida… mas o mais próximo que sintetiza isso é um quadro que mandei fazer de dois desenhos dos meus avós, que assim como meus pais e irmãos, sempre enxergaram em mim algo de especial.

Larissa – meu pai.

Você se sente responsável por fazer a diferença na vida dos outros?

Joanna – De certa forma, sim – depende do quanto o outro sente a importância nos objetos que produzimos. Mas, como espírito de trabalho e postura, acho que não tem sentido criar algo que não vá fazer alguma diferença na vida das pessoas, independentemente da importância.

Larissa – Sim, com certeza. Porque levamos um estilo de vida para nossos clientes – não apenas produtos.

Consegue sintetizar sua história em apenas 5 linhas? O que te despertou, o que te motiva e o que faz você sentir que está no caminho certo?

Joanna – O que me inspira é toda bagagem emocional e cultural que minha família me proporciona desde sempre. Isso, somado a experiência de viajar e viver momentos meus, me faz enxergar o mundo como vejo hoje. Me motiva muito a vontade de ver tudo feito, de olhar para trás com orgulho e sentir vontade de melhorar.

Larissa – Acho que não consigo… não sou muito boa em sínteses..rs.

Apenas as coisas aconteceram naturalmente, numa conversa despretensiosa com uma amiga de infância, e no desejo intuitivo de colocar essa conversa em prática. A felicidade que sinto com meu trabalho, com nossas conquistas, deixa claro para mim que estamos no caminho certo.